Ocorreu nessa última terça-feira, dia 06 de julho de 2021, às 19h, a segunda Audiência Pública para discussão do Plano de Mobilidade Urbana da cidade de Guaratuba (PR), transmitida de forma online pelo canal do Youtube (https://www.youtube.com/user/ittiufpr/featured), do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura da Universidade Federal do Paraná (ITTI/UFPR), que está elaborando o Plano de Mobilidade Urbana da cidade através de um convênio firmado entre o Município e a Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná (Fupef), vinculada à UFPR.

Com mais de 490 visualizações, aproximadamente 120 pessoas assistiram a audiência e puderam participar da discussão através do chat da plataforma contribuindo no envio de dúvidas e sugestões.

A audiência foi apresentada pelo Senhor Prefeito Roberto Cordeiro Justus; Professor Dr. Eduardo Ratton, Coordenador de Projetos e Conselho Diretor do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI/UFPR), Amanda Gallucci, Engenheira do ITTI/UFPR e o arquiteto Hermes Nichele, ITTI/UFPR.

Participaram ainda da reunião, o secretário Municipal do Urbanismo, Claudio Luiz Dal Col (Comissão técnica) e o diretor técnico do Urbanismo, Carlos Danilo Machado de Souza (Comissão técnica).

O pronunciamento inicial foi dado pelo prefeito de Guaratuba, o Senhor, Roberto Cordeiro Justus, relatando “Estou muito feliz com a participação popular, acho que é muito importante, pois o plano precisa ser abraçado por todos os guaratubanos, para que ele efetivamente acabe tendo validade. Não pode ser algo que termina com uma gestão, ele precisa ser algo abraçado por todas as gestões que nos sucederem, funcione como diretriz para a gestão do trânsito de Guaratuba, para a mobilidade, porque quando falamos de mobilidade, falamos mais do que trânsito, nós estamos tratando aqui das calçadas, da acessibilidade. Eu tenho certeza que vamos chegar em um relatório, um plano final que vai mudar o perfil da nossa cidade, trazendo mais desenvolvimento, mais prosperidade, mais segurança para toda a nossa população e eu considero que é isso que nossa cidade merece”.

O Professor, Dr. Eduardo Ratton, do Conselho Diretor do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) deu continuidade à audiência destacando que o Plano de Mobilidade está sendo construído em conjunto com a Prefeitura e comunidade e, que as discussões serão todas participativas, inclusive com pesquisas realizadas com os munícipes, a qual faz parte da fase de diagnóstico, momento importante para que todos tenham conhecimento de como se constrói um Plano de Mobilidade.

O professor comentou sobre a Constituição Federal de 1988 que passou a exigir dos municípios com mais de vinte mil habitantes um Plano Diretor, mas que somente em 2011 com a aprovação do Estatuto das Cidades que se estabeleceu as regras e exigência sobre o Plano Diretor. O professor coloca ainda, que atualmente com as exigências da Secretaria do Desenvolvimento Urbano do estado do Paraná os munícipios precisam ter um Plano de Ações de investimento definido através de uma política de mobilidade urbana. Ressalva que a segunda audiência apresenta a quarta etapa do Plano de Mobilidade, lembrando que o Plano se estenderá na sua elaboração até outubro de 2021, se efetivando nos nove meses de trabalho.

Prefeito Roberto Cordeiro Justus deixou registrado na apresentação do Professor Eduardo Ratton que a Câmara Municipal sugeriu a participação de um representante do poder legislativo na Comissão Técnica de Acompanhamento e, que por uma questão burocrática ainda não foi indicado este nome, mas que os vereadores estão participando e atuando nessa participação popular.

A engenheira Amanda Gallucci e o arquiteto Hermes Nichele deram continuidade com a apresentação da quarta fase do Plano de Mobilidade que se efetivou em sete etapas: Planejamento de Mobilização; Caracterização Inicial; Comportamento da Circulação; Diagnóstico da Mobilidade; Prognóstico da Mobilidade; Oficinas das diretrizes e ações e; Consolidação do Plano de Mobilidade Urbana.

A engenheira Amanda abordou sobre os problemas do município, identificado por meio de Drone, Softwares específicos e pesquisa com a comunidade. E que a partir do Plano de Mobilidade se objetivará trazer soluções para este diagnóstico.

Foram apresentados nesta audiência o inventário físico das vias, calçadas, estacionamentos de controle de tráfego; pontos de táxi, transporte público e infraestrutura cicloviária.

No estudo de tráfego foi apresentado a contagem classificatória e direcional e o nível de serviço.

As pesquisas envolveram o perfil da mobilidade; a satisfação, do transporte público urbano, sistema de travessia e; infraestrutura cicloviária, linha de desejo dos ciclistas e sistema de transporte escolar.

Em todo o período que se ocorreu a audiência, foi lembrado da importância onde a comunidade pode enviar questionamentos os quais foram respondidos ao final da apresentação.

A audiência foi acompanhada pelas intérpretes de Libras, Siloė Pawe Bispo Adriano e Rafaela Quintino Pereira da Silva, promovendo o acesso as pessoas com deficiência auditiva.

Aqueles que não puderam participar da audiência, ainda poderão participar com o envio de dúvidas, sugestões e/ou questionamentos através do email [email protected].

A segunda audiência pública do Plano de Mobilidade Urbana do Município de Guaratuba pode ser assistida integralmente através do link https://www.youtube.com/watch?v=yDk-2-XeS_k&t=628s.