O corredor ferroviário Maracajú-Paranaguá foi tema de uma reunião realizada em Brasília, esta semana, entre o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Paulo Passos, o senador Sérgio Souza, o chefe de gabinete da Casa Civil, Leones Dallagnol, e o representante da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Mário Stamm. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi representada pelo coordenador de meio biótico do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI), Durval Nascimento Neto. 

 A reunião abordou aspectos do trecho que compõe o projeto de ferrovia entre Maracaju (MS) passando pela estação Engenheiro Bley, na Lapa, e Paranaguá (PR). O trecho todo terá mais de mil quilômetros. Também foram discutidas os próximos passos para agilizar o processo de licenciamento ambiental, que será feito junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Ibama).

Para Passos, a participação da UFPR é de fundamental importância para o processo por causa da produção de conhecimento e know how sobre a execução de estudos de obras lineares como rodovias e ferrovias, obtido por meio dos trabalhados que vem sendo desenvolvidos pelo ITTI. “Tenho certeza que a Universidade tem capacidade para executar o trabalho, além da credibilidade que a instituição detém”, afirmou o presidente da EPL.

 Reunião Durval

 

 Segundo Neto, será realizada na próxima semana uma reunião entre a EPL, UFPR e IBAMA para discutir questões relacionadas ao licenciamento ambiental do empreendimento para dar início aos estudos que irão embasar a licença prévia. “A reunião foi proveitosa, com participação de várias autoridades interessadas em viabilizar o projeto. Esperamos que as entidades envolvidas trabalhem em conjunto para acelerar o processo”, afirma o representante do ITTI.

Benefícios

O novo trecho terá mais de mil quilômetros e cortará o Paraná de leste a oeste. O corredor deve facilitar e baratear o escoamento da produção agrícola e o transporte de insumos. O Paraná é o segundo maior produtor de grãos do país e terceiro maior exportador entre os estados. De acordo com estimativas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, a colheita de verão do estado deve ser de 16,46 de milhões de toneladas.

ITTI
O Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) atua na elaboração, execução e supervisão de programas e estudos destinados à gestão ambiental de obras, especialmente na área de transportes, tais como as rodovias, ferrovias e portos. Com uma equipe técnica formada por professores, pesquisadores, estudantes e profissionais especializados, os projetos da UFPR/ITTI também contemplam aspectos relacionados à gestão territorial, questões socioambientais e quanto ao uso de recursos naturais.

Assessoria de comunicação
ITTI – Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura
(41) 3226-6658 | [email protected]